Caótica
28 junho 2006
  Dados sigilosos dos 'sanguessugas'
Gabeira vai sugerir na reunião desta quarta que a comissão faça um “cerco de quatro anéis” aos congressistas sob suspeição: 1) a análise das emendas que cada um apresentou ao Orçamento da União; 2) o rastreamento da execução dos gastos pelo Executivo; 3) a audição dos grampos telefônicos feitos com autorização judicial); e 4) a verificação dos dados que constam do livro-caixa da Planam, a empresa que comandava as licitações viciadas para a compra de ambulâncias.
 
23 junho 2006
  Alvaro defende reajuste de 16,7% para aposentados e pensionistas
O líder da minoria no Senado, Alvaro Dias (PR), defendeu em Plenário a concessão de reajuste de 16,7% para os benefícios previdenciários maiores que um salário mínimo, frente a uma revisão de apenas 5% proposta pelo governo. De acordo com o parlamentar, o reajuste de 16,7% ainda é insuficiente para corrigir a defasagem das aposentadorias e pensões, que chegaria desde 1991 a mais de 100% para quem ganhava na ativa mais de dez salários. "É uma medida justa, lícita e legítima e amenizará as perdas dos aposentados nos últimos anos", avaliou Alvaro.
 
20 junho 2006
  Segurança sem recursos federais

Dados do Siafi mostram redução drástica dos recursos federais para os Estados cuidar da segurança. Exceto pelo Distrito Federal, onde a União banca o orçamento da segurança, os Estados perderam pelo menos 2/3 dos recursos nos últimos cinco anos.
E entre todos os Estados, Pernambuco foi o que mais perdeu recursos do governo federal entre 2001 e 2005: sofreu redução de 96,6%. Abaixo dele, Goiás (94,4%), Bahia (94,1%), Alagoas (93,3%) e Piauí (93%). Levantamento feito por Primeira Leitura.

* Primeira Leitura encerra o site, mas seus articuladores não calaram.
 
14 junho 2006
  Quanto custa um deputado?
Só o custo de cada deputado federal (salário e estrutura disponibilizada), hoje, é de aproximadamente R$ 100.000,00 por mês. Além do salário de R$ 12.847,20 (15 a 19 vezes por ano), os parlamentares contam ainda com a verba de gabinete (R$ 50.818,82), as verbas indenizatórias (R$ 15.000,00) e mais R$ 3.000,00 de auxílio-moradia, que recebem mesmo já tendo um imóvel próprio em Brasília. Isso sem contar os R$ 4.268,55 previstos para despesas com postagens e telefonia, além da cota de passagens aéreas, que varia de R$ 6.000,00 a R$ 16.500,00, dependendo do estado de origem do parlamentar. Clique aqui, para ver um quadro com o custo da remuneração e da estrutura disponível para os deputados federais. Contas Abertas.
 
10 junho 2006
  Lula e os bandidos
Acho engraçado quanto o leitorado (ou eleitorado) petista de classe média e média alta manda e-mails esculhambando o site porque ele seria tucano. Bobagem. Os tucanos não dão bola para nós. Têm a sua própria maneira de fazer oposição a Lula e nem mesmo acreditam, com raras exceções, que ele é um perigo para o Brasil. Uma parte o considera um idiota irrelevante, o que é falso; outra talvez encontre alguns pontos de contato e até sonhe, quem sabe?, com uma futura aliança. Uma terceira, como em qualquer partido, se alinha com quem manda. E pode haver ainda um ou outro que se dedique a cálculos supostamente maquiavélicos: Lula ganha, quebra a cara, e a história segue seu curso... Como se o poder caísse do céu, feito maná. Especialmente de um céu estrelado de inimigos.
Leia o artigo completo aqui
 
08 junho 2006
  Governo gasta R$ 5 milhões por dia em propaganda
http://josiasdesouza.folha.blog.uol.com.br/
 
01 junho 2006
  Malandro que é malandro…
Lembram do advogado Sérgio Wesley da Cunha? Acusado de ter comprado uma gravação com depoimentos secretos prestados por policiais à CPI do Tráfico de Armas, repassados a líderes do PCC, Cunha foi preso por desacato na semana passada. Durante seu depoimento à comissão, o deputado Arnaldo Faria de Sá o provocou: “O senhor aprendeu rápido com a malandragem”. O advogado retrucou: “A gente aprende rápido aqui”. Que injustiça… Parece que o advogado do PCC aprendeu sobre malandragem bem antes do depoimento no Congresso.

Apesar de trabalhar normalmente como advogado, Sérgio Wesley da Cunha é aposentado por invalidez pela Prefeitura de São Paulo desde 1999. Contratado após concurso público em 1989, o advogado assumiu o cargo na prefeitura como assessor de Gestão de Políticas Públicas. Em 1999, uma junta médica o avaliou como inválido. No entanto, desde então, ele continua trabalhando. Cursou Faculdade de Direito e, em 2004, foi inscrito na Ordem dos Advogados do Brasil.

Agora, e somente agora, a Secretaria de Gestão do Município abriu uma sindicância para investigar o caso. Cunha alega “foro íntimo” para não revelar a doença e garantiu que a enfermidade permanece. Sua aposentadoria é de R$ 759,89 brutos. Hum… quer dizer que o advogado do PCC era assessor de gestão de políticas públicas?

Publicado por Luiz Antonio Ryff No Mínimo
 

A minha fotografia
Nome:
Localização: Brazil
Free Web Counter
  • A Marvada Pinga
  • Beck em Palavras
  • Blog da Santa
  • Bloody Mary
  • Blog do Ozeas
  • Blog do Joca
  • Claudio Tellez
  • Falares
  • Gotas de Fel
  • Miolo de Pote
  • Resistência Nemerson Lavoura
  • Refletir e Participar
  • Star Sasa
  • Serjão Comenta do Céu
  • Tenho Direito a dar Minha Opinião
  • Uni-Verso In-Verso
  • Verbi Gratia